Conheça os motores Energy da Renault

Não é nenhuma novidade que a Renault é uma das pioneiras em tecnologia automobilística, e quando se trata de tecnologia de motores…bem, basta ligarmos a TV no domingo de manhã, certo?

Nos últimos anos, a montadora francesa tem utilizado os motores Energy para equipar todos os modelos da gama comercializados na Europa.

Estes propulsores foram desenvolvidos para eficiência, tanto para um bom desempenho, quanto para baixo consumo de combustível. Seguindo a tendência de “downsizing” da atualidade, alguns modelos do ‘Energy’ também possui versões de apenas três cilindros e os benefícios são inúmeros: menor peso, menor atrito, menor consumo, menor vibração, etc. Tudo que já sabemos sobre esta nova disposição de motores.

Não se engane, eles podem te surpreender, principalmente por serem sobrealimentados. Sim, estes motores são turbo e podem economizar até 33% de combustível se comparado aos seus antecessores, tanto nas versões gasolina quanto nas versões diesel. Mas vamos ao que realmente interessa, certo? Afinal, quais são e do que são capazes?

  • Energy TCe 130

renault-megane-tce-130-05

 

 

 

 

 

Desenvolve 130cv de potência em 5.500 rpm e 20,5kgf.m de torque logo em 2.000 rpm. São 1.2 litros, turbo e injeção direta de combustível.

 

  • Energy TCe 120 EDC

tce120

 

 

 

 

 

Este motor de 1.6 litros turbo é capaz de desenvolver 120cv de potência e 19kgf.m de torque em 2.000 rpm, com apenas três cilindros. Segundo o fabricante, este motor é capaz de economizar até 33% de combustível em relação ao seu sucessor, e entrega até 90% de todo seu torque em apenas 1.500 rpm.

 

  • Energy TCe 90

tce90

 

 

 

 

 

 

 

Com apenas 900 cilindradas (0.9 litros) e três cilindros, este foi o primeiro motor TCe desenvolvido e fabricado pela Renault. Sobrealimentado, gera 90cv de potência em 5.250 rpm e 13,5kgf.m de torque em apenas 1.250 rpm. Um motor um tanto “chocho” para equipar carros como a Captur, por exemplo. Em princípio, o objetivo principal deste propulsor é a economia e torque em baixas rotações. Se compararmos aos 1.0, 1.4 e até 1.6 nacionais, este motor dá um banho de eficiência e desempenho.

 

  • Energy SCe 70

sce-70-engine.jpg.ximg.l_full_m.smart

 

 

 

 

 

Propulsor de entrada da montadora, disponível na versão básica do Twingo. De 1.0 litro aspirado, 70cv de potência em 6.000rpm e apenas 6,7kgf.m de torque em 2.850 rpm.

 

  • Energy dCi 160

Renault-1.6-litre-Energy-dCi-160-twin-turbo-diesel-620x400

 

 

 

 

 

 

Este motor 1.6 litros bi-turbo diesel é capaz de desenvolver 160cv de potência e 38kgf.m de torque! O foco é muito torque em baixas e médias rotações e boa potência quando o motor gira alto. Lembrando que a Europa tem uma cultura de carros de passeio com propulsores movidos à diesel, bem como alguns países da América Latina.

 

  • Energy dCi 130

TECHNOgd

 

 

 

 

 

 

Desenvolvido em parceria com a Nissan, este motor 1.6 litros é substituto do antigo 1.9 litros dCi. O dCi 130 gera 130cv de potência e 32kgf.m de torque. Nada mal para um motor diesel. Baixíssima emissão de poluentes e baixo consumo são os principais fotos, além do baixo peso.

 

  • Energy dCi 110

dci110

 

 

 

 

 

 

 

Seguindo a mesma tecnologia do dCi 130, este motor de 1.5 litros equipa um a cada três modelos da montadora. Desenvolve 110cv de potência e 26kgf.m de torque em 2.500 rpm.

Mesmo desenvolvendo motores de altíssima tecnologia, baixa emissão de poluentes, baixo atrito e consumo de combustível, o mercado brasileiro ainda não parece ser interessante suficiente para que a Renault comece a importar/produzir estes motores por aqui, mesmo os movidos apenas à gasolina.

Aqui ainda temos os motores das séries D, K, F e M (que equipa o atual Fluence 2.0) que também são aquém de seu tempo e desenvolvem muito bem, mas já tem seu projeto base um pouco ultrapassado.

 

Leave a Reply