Test Drive – Renault Logan 1.6 16v

Fui hoje (16/09/2007) pela manhã, fui com o Sarpa e o Edu-RP (FordHP) na Renault Dinisa Oceânica , em Piratininga, Niterói – RJ.
Demos uma boa olhada ao redor e por dentro do Logan, e aproveitamos pra fazer um test-drive.
Não peguei dados de comportamento suficientes para uma análise minuciosa, mas conseguimos conferir bem a qualidade do interior, a resposta do motor e um pouco do comportamento dinâmico

Acabamento Interno:

O acabamento é ainda superior ao esperado. O barulho do motor é muito bem abafado, deixando o interior bem silencioso enquanto o motor está em rotações mais elevadas.
O tecido dos bancos é bem superior ao da concorrência, e o porta-malas não fica atrás, com material de boa qualidade e proteção da parte traseira dos bancos, coisa difícil atualmente. As peças estão bem encaixadas no painel e portas, exceto pelo cinzeiro que parece ter sido feito depois do projeto do carro totalmente pronto.
Apesar do plástico usado ser de baixa qualidade, acompanha todos os concorrentes que optaram por fazer uso de material bem semelhante.

Espaço:

Isso que foi o mais impressionante. Tem mais espaço interno do que um santana, literalmente! Regulei o banco para mim (1,91m) e o espaço atrás do banco era vasto o suficiente para que outra pessoa de minha altura ficasse ali confortavelmente.
O porta malas é grande o suficiente para competir com os carros do segmento acima, quando este ítem pesa mais na decisão da compra.
Para os adeptos do GNV, é uma ótima opção, pois mesmo com um cilindro de 16m³, creio que sobre mais espaço do que na mala de um hatch do segmento.

Ergonomia:

O que dirigi tinha regulagem de altura do banco do motorista, bem útil por sinal, mas nem isso foi suficiente pra tirar a sensação “van” que se tem ao dirigir. Isso é mais uma opinião pessoal, pois sou acostumado com carros baixos. No entanto, a distância horizontal dos pedais ao volante é das melhores que ja vi, não há necessidade de ficar com o braço esticado demais ou recolhido demais para que as pernas fiquem em uma posição confortável.
Creio que daria pra encarar uma viagem de mais de 4 horas direto dentro dele sem problemas (coisa que no meu fiesta street geraria provavelmente algum desconforto).

Design:

Sejamos francos, é um carro ja manjado no mercado exterior, e foi feito para a europa oriental. Nunca foi um primor de design moderno. É o tipo do carro em que durante o projeto, boa parte do investimento em design foi desviado para o setor de desenvolvimento.
Tendo em vista as outras opções do mercado, o Logan não se mostra visualment atraente, mas o que falta de moderno e arrojado no visual, sobra em funcionalidade.

Comportamento Dinâmico:

A suspensão do carro é bem macia, e absorve muito bem as irregularidades do piso. No entanto, por ser um “carro familiar”, a calibragem da suspensão é macia até demais pra quem pensa em usar todo o fôlego das 16 válvulas do motor.
Em curvas mais fortes, ele aderna bastante, embora bem menos que o concorrente da fiat, o siena.
Os freios pareceram bem dimensionados. Não cheguei a abusar como faria em um teste mais completo, pois afinal era apenas um test-drive, mas o freio me passou bastante segurança na “pegada”.

Desempenho:

Pela massa do carro (1025kg), seu vasto volume, e suspensão mais macia, o motor não rende tão bem quanto no Clio. Com uma tocada mais agressiva, levando o giro bem alto, ele responde bem, mas bastante lento.
Percebe-se que o carro gosta de rotações mais elevadas, mas falta um pouco mais de agressividade no acerto do acelerador eletrônico. O Clio responde com bem mais vivacidade.

Impressões de Quem Andou no Banco Traseiro (por Sarpa):

Eu não dirigi o carro, mas fui no banco de trás. 8)

Do banco de trás analisei o espaço interno do carro, que é absurdo! Logo reparei que o Renato havia ajustado o banco quase no final pra ele caber no carro sem problemas, e eu que estava atrás percebi que ainda tinha muito (muito mesmo) espaço de sobra para as minhas pernas.

O teto também é bem alto e não tem o desconforto da curva que a traseira do Clio faz na cabeça de quem anda no banco de trás, não incomoda nem mesmo que é alto. Pelo que vi, viajam 3 adultos confortavelmente no banco traseiro.

Em curva mais acentuadas percebi que ele tende a inclinar mais que o Clio, mas nada absurdo ou desconfortável como em alguns concorrentes. Isso se deve a sua suspensão mais acertada para o conforto de uma família.

O interior é bem razoável, mas não me liguei muito nisso, pois o seu espaço interior me surpreendeu bastante.

O desenho do carro é bem feio, talvez isso atrapalhe as vendas dele no país.

Resumo:

Depreciei de certa forma o desempenho e o comportamento dinâmico, porém somente por que esses quesitos são os fortes de carros esportivos. Como a proposta do logan é ser um carro de família, não creio que sejam tão importantes quanto o espaço, ítens de conveniência e conforto.

Comparando com outros sedãs da mesma categoria, o logan me parece ser o carro definitivo. Creio que seria bem agradável e seguro, fazer uma viagem longa a uns 110 à 130km/h com o carro cheio (5 passageiros com bagagem), pois o carro passa muita sensação de segurança, abafa muito bem os ruídos do motor para o interior, e o comportamento do motor é dos melhores.
E para quem não sai da cidade, buscar os filhos no colégio, ir ao supermercado, ao trabalho… O espaço é bastante útil, e o motor 16v renault tende a ser bem econômico também.

Leave a Reply